14/11/2011

O despertar de um gigante

 

É fato que o mundo anda fascinado com o Brasil. O bom desenvolvimento da economia brasileira revela que este é o momento mais promissor da história do país.

Portanto não é surpreendente que a conferência anual sobre luxo organizada pelo jornal International Herald Tribune (IHT Luxury Conference) tenha sido realizada este ano em São Paulo nos dias 10 e 11 de novembro. O foco principal do seminário foi discutir o desenvolvimento atual e futuro do mercado de luxo do Brasil.

A conferência que foi organizada por Suzy Menkes, uma das editoras da publicação, trouxe uma seleção de nomes importantes do mercado de luxo nacional e internacional, como a diretora criativa Sarah Burton da marca Alexander McQueen, Cecilia Dean da revista norte-americana “Visionaire” e o fotógrafo peruano Mario Testino – para citar alguns. Clique aqui para saber mais sobre o evento.

Para Carlos Ferreirinha, fundador da MCF Consultoria Estratégica de Negócios e um dos participantes do seminário, é evidente que o Brasil está se tornando uma prioridade para o mercado de luxo. “A médio e longo prazo empresas terão que encontrar alternativas para crescer seus negócios e sem dúvida o Brasil vai estar no top 5 dos mercados para desenvolvimento”, disse ele em entrevista exclusiva ao site The Gentleman.

“Mais do que qualquer conteúdo que o seminário IHT Hot Luxury tenha apresentado, o mais importante foi ter a conferência em São Paulo e ter uma quantidade de convidados internacionais que viajaram para fazer parte do evento – alguns deles pela primeira vez no país”, acrescentou.

Em paralelo à conferência, o jornal também publicou uma série especial de artigos sobre a economia brasileira. Os relatórios revelaram estatísticas impressionantes sobre o desenvolvimento da indústria de luxo no país e também sobre os consumidores e seus hábitos. Com base no que foi publicado, extraímos os fatos mais interessantes para você:

* No Brasil, 60% da população tem menos de 29 anos de idade. Para colocar isto em um contexto, na América Latina um terço da população tem menos de 30 anos.

* 29 milhões de brasileiros entraram na “classe média” entre 2003 e 2009.

* A economia do país cresceu 7,5% em 2010.

* De acordo com o Relatório de Riqueza Mundial 2011 (“2011 World Wealth Report”), publicado pelas empresas Capgemini e Merrill Lynch Global Wealth Management, o Brasil tem 155.400 milionários hoje. Isto classifica o Brasil em 11o na lista mundial de riqueza, à frente da Rússia e da Índia.

* Mas ainda assim, de acordo com as Nações Unidas, o Brasil é classificado na 11a posição no atual ranking global de distribuição desigual de renda – fato não explorado nas reportagens do ITH.

* No artigo “Exactly How Hot Is Brazil?”, Menkes descreve a cidade de São Paulo como um “enxame de comércio glamoroso”. Em resumo sua impressão é que as áreas de compra de São Paulo possuem uma atmosfera encantadora que é difícil de encontrar nas cidades de outros países do BRIC (Rússia, Índia e China).

* O mesmo artigo também destaca que, em comparação com os outros BRIC, o Brasil é o único que “possui designers próprios significantes”, mencionando Gloria Coelho, Carlos Miele, Osklen e H. Stern.

* Foi senso comum entre os especialistas do mercado de luxo nacional entrevistados pelo jornal que a atitude de vida do brasileiro influencia fortemente os seus hábitos de compras. Segundo eles, os brasileiros têm um forte desejo por moda, não gostam de economizar dinheiro, preferem comprar em shopping centers, esperam um bom serviço personalizado e gostam de exibir o que adquirem.

Mas o que isso tudo significa? Ferreirinha acredita que o mundo quer e precisa do Brasil e dos brasileiros como consumidores. “O gigante despertou”, resume ele.

Parece que não importa o rumo que o desenvolvimento do Brasil vai seguir. Algo que provavelmente nunca vai mudar, porém, é uma caipirinha em um dos bares agitados de São Paulo depois de um tour de compras.

 

Texto e foto: Hermano Silva © Brasil