23/06/2011

A revolução silenciosa de Rick Owens

Não, não é Lady Gaga, apenas uma das convidadas do desfile do estilista Rick Owens…

 

Owens propôs saias longas e túnicas para os meninos

 

Um panorama do fim do desfile

 

Mais listras na apresentação de Alexis Mabille e um look do estilista coreano Juun J

 

Estampas de inspiração havaiana: apareceu na nova coleção de Jean Paul Gaultier assim como entre os convidados dos desfiles

 

Dois gentlemen com estilos opostos: o turista americano e o stylist londrino

 

Descanso? Não há tempo. Modelo apenas posa para um ensaio de moda nas ruas da cidade

 

Paris, Primavera-Verão 2012 – Uma revolução no guarda-roupa masculino: é o que propõe o estilista Rick Owens no desfile mais interessante do segundo dia da semana de moda parisiense. Na verdade não é de hoje que as roupas de Owens causam estranhamento com sua estética futurista, andrógina, quase alienígena. Mas o fato é que o estilista continua surpreendendo, como mostrou esta manhã no Palais Omnisports de Bercy.

Na sua nova coleção é o jogo complexo de sobreposições de saias com túnicas que atraem o olhar e repelem ao mesmo tempo. Não pelo fato dos homens usarem de saia, mas porque a roupa de modo geral faz com que o corpo fique alongado e é isso que torna o seu trabalho tão interessante e novo. Os seus consumidores – uma legião de jovens super modernos que faz com que os seus desfiles mais se pareçam como uma rave – provam no entanto que sua roupa cai melhor naqueles que tem mais de 1,80m.

Owens, assim como nos outros desfiles do dia (Dries Van Noten, Alexis Mabille e Jean Paul Gaultier), propuseram roupas listradas de todos os tipos dando vida longa a tendência já presente há algum tempo.

Entre os jovens designers o destaque é o coreano Juun J., que apresentou uma coleção focada em peças de alfaiataria impecáveis, com golas e lapelas desconstruídas combinadas com acessórios de metal. Muito interessante acompanhar o trabalho de novos estilistas em Paris -já que até pouco tempo dizia-se que a cidade se ressentia de sangue novo, especialmente no masculino.

Au revoir, até amanhã!

Texto e fotos: Hermano Silva © 2011